Bateu Bwe
Image default
Cult & Art

Theresa Nallene é o pseudónimo literário de Teresa Lumingo Capussi, autora do livro “Resgatando a Essência”.


Nascida no Município de Cacuaco, província de Luanda aos 10 de Abril de 1996, a autora escreve desde a sua adolescência, tendo como maior objectivo usar o seu dom da escrita para transmitir valores as pessoas e ajudá-las no melhoramento da sua auto-estima.



Formada em Contabilidade e Administração. Profissional na área Administrativa e Financeira, membro estagiário da OCPCA (Ordem dos Contabilistas e Peritos Contabilistas de Angola), e também membro da SPCLAA (Sociedade de Profissionais Contabilistas Liberais Associados de Angola), a jovem autora inspirada pelos contos infantis que muitas vezes ouvia de seus amigos e familiares na sua infância, reescrevia estórias, principalmente as mais dramáticas, e ao longo do tempo, sua paixão pela escrita foi crescendo

Theresa decide resgatar-se e assumir-se como escritora por incentivo de muitos escritores jovens e angolanos, e principalmente, de sua irmã Feliciana, que sempre acompanhou seus escritos.

Apesar de ter começado a escrever desde muito cedo, Theresa apenas lançou a sua primeira obra recentemente “Resgatando a Essência” Questionada pelo Bateu bwé sobre o porquê.



Respondeu ” Porque, por muito tempo apenas escrevia para mim, mas agora, decidi partilhar para o mundo tudo aquilo que acredito, através da escrita. Por outra, acredito que eu posso ajudar a tornar o mundo um pouco melhor do que o encontrei, através daquilo que sei fazer e me sinto confortável, escrever”.

Bateu bwé: O que retrata a obra “Resgatando a Essência”?
Theresa Nallene: Resgatando a essência é um livro de auto-ajuda, reflectidos em contos, aonde abordo assuntos vividos por muito de nós…


Fala sobre perdas e ganhos, esperança e amor-próprio, e acima de tudo, a importância da auto-aceitação como factor fundamental para a libertação de nossos valores…
É um livro motivacional, direccionado para todo mundo, Cristãos e não Cristãos, porque,o objectivo é ajudar ao jovem ou ao caro leitor a encontrar-se através das experiências vividas pelos personagens.

Bateu bwé: todo escritor tem uma fonte de inspiração, qual é a sua?
Theresa Nallene: No geral, a minha irmã Feliciana Caculete, que carinhosamente a chamo de Fé, a pessoa a qual dedico o livro “Resgatando a Essência”. Mas, olhando para a vertente literária,
gosto muito do Escritor Augusto Cury, gosto muito da sua forma natural de escrever, e de como envolve o leitor aos seus escritos. E, tantos outros escritores nacionais e internacionais queO nosso Mercado literário precisa ser mais explorado, tal como explora-se muito na música e em outros ramos, temos bons artistas, mas infelizmente, não se valoriza, tal como é visível a valorização em outras áreas artisticas.

Tudo é arte, tudo é nosso, nas nossas diferenças conseguimos tornar o mundo melhor.

Infelizmente, ainda não se consegue viver da escrita em Angola, tal como o músico vive da música… o que é triste!

Bateu bwé: Para si, existe união entre os escritores angolanos?

Theresa Nallene: Alguns sim, eu noto o trabalho de algumas editoras e escritores a trabalharem em prol da literatura, mas são pouquissímos. Na sua maioria, não. E, isso também dificulta em partes o crescimento da literatura angolana…

Enquanto uns trabalham pelo crescimento, outros querem mostrar que são melhores que os outros… A escrita parece que virou moda para bifes, e não para ajudar na educação da sociedade.

Se me percebe… em partes, alguns se esforçam para mudar o paradigma, mas outros não… Há uma certa distância entre os escritores da Antiga e Nova geração, é como se o que nós da nova geração “temos para dizer, já não valesse”ou que tudo já tenha sido dito, só que não, viver é um contínuo aprendizado, e os adultos podem também aprender com os jovens, e os jovens aprender com os mais velhos.

Bateu bwé: Se tivesse que escolher um escritor angolano, qual seria?

Theresa Nallene: Existem muitos escritores angolanos que leio e admiro bastante, como Ondjaki, Pepetela, Rosa Soares e tantos outros, mas este eu escolheria porque para mim é uma estrela que vem brilhando paulatinamente, e tenho a graça de ler algumas das suas obras antes mesmo de serem publicadas. Ele instrui-me sempre e a cada dia me torno melhor pela

sua maestria… Então,sem receio e porque sou muita fã, escolheria o Escritor Lucas Cassule.

Bateu bwé: Sobre o lançamento do livro. Acreditamos que as coisas ñ ficarão por aqui, o que se pode esperar dos próximos livros?
Theresa Nallene: Estamos a preparar um com várias temáticas, mas não deixando aquilo que é a minha essência literária, motivar, influenciar e ensinar a diferença.
E, claro também estou escrevendo alguns romances para publicações futuras. Por outra, irei participar em algumas Colectâneas com vários Escritores, com géneros diferentes, entre Contos e Poemas…

Bateu bwé: Nesse mundo da literatura, qual seria para a Theresa o momento alto da sua carreira?
Theresa Nallene: Na verdade cada momento que recebo um feedack de algum leitor, falando como se identifica ou identificou-se com alguns alguns dos meus escritos, isso, para mim, já é o começo…
Mas, claro, todo Escritor, quer ver o seu nome atravessando fronteiras, e isso, para mim seria um grande disparo.
Dentre vários pontos importantes, é algum dia ser alguma referência nacional e ser vista com respeito e admiração por outras referências internacionais.

Bateu bwé: Para terminarmos, o que mais gostaria de dizer?
Theresa Nallene: Bom… Estive no dia 13 do mês corrente em uma roda com o Clube dos leitores da Mediateca de Luanda, e foi um evento super produtivo, tivemos o quadro “Conversa Dura” , no qual, falou-se sobre o meu livro RESGATANDO A ESSÊNCIA, aonde tive a oportunidade de falar mais sobre o mesmo, entre variadíssimas conversas duras.


Desde já, quero agradecer ao Clube pelo convite e pela oportunidade, pude sentir através do olhar dos leitores, o impacto que o mesmo trouxe na vida deles, e isto é o que realmente importa.
Para dizer que, a segunda edição será já lançada ainda este ano, na Casa da Juventude, em Viana, no mês de Novembro.
Será um momento único, e convido a todos a fazerem parte, ou a me acompanharem nas minhas redes sociais para não perderem as novidades.
Muito, muito obrigada.

E, lembre-se:
“Pior do que perder-se pelo caminho, é acomodar-se e não lutar para o resgate da sua essência.”

Facebook: Escritora Theresa Nallene
Instagram: @theresanallene

Artigos semelhantes

Isabel Albino (Biografia)

Ildo Espinha

Ladilson Manuel desculpa-se pela possibilidade de constrangir as africanas com as suas piadas

Ildo Espinha

Irene Ramos entre as figuras convidadas ao jantar intimista na casa da curadora de Artes Ivani Yunes no Brasil

Cardoso Lopes

Comente

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceito Saber Mais

Privacidade & Politica de Cookies
Conteúdo protegido