Bateu Bwe
Image default
Mundo

Paquistanesa condenada à morte por partilhar ‘blasfémias’ no WhatsApp

Uma mulher muçulmana foi condenada à morte, no Paquistão, por ter enviado um texto e caricaturas do profeta Maomé, através de mensagens na rede social WhatsApp, ato considerado ‘blasfemo’ naquele país.

Aneeqa Ateeq, de 26 anos, foi presa em maio de 2020, acusada de partilhar “conteúdo blasfemo” através do WhatsApp, incluindo caricaturas, segundo dados divulgados pelo tribunal citados pela agência AFP.

O tribunal da cidade de Rawalpindi, no norte do Paquistão, determinou que Aneeqa Ateeq seja “pendurara pelo pescoço até à morte” e também a condenou a 20 anos de prisão.

Cerca de 80 pessoas estão presas do Paquistão por blasfémia, metade das quais foi condenada a prisão perpétua ou à pena de morte, segundo a comissão dos Estados Unidos sobre liberdade religiosa no mundo.

Defensores dos direitos humanos acreditam que as acusações por blasfémia são regularmente lançadas de forma abusiva, por motivações pessoais.

A maioria das vezes envolvem muçulmanos, mas as acusações também visam regularmente minorias religiosas, especialmente cristãos, acrescentam.

Em dezembro, um diretor de uma fábrica no Paquistão, natural do Sri Lanka, foi linchado e queimado por uma multidão furiosa após ter sido acusado de blasfémia.

Fonte: noticiasaominuto

Artigos semelhantes

Lavrov exige atos aos EUA e avisa que o Ártico é território russo

Cardoso Lopes

Mais de 35 países benificiarão de cabo submarino do Facebook

Ildo Espinha

Globo conquista 27 prémios no Promax Latin America Awards

Bateu Bwe

Comente

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceito Saber Mais

Privacidade & Politica de Cookies
Conteúdo protegido