Bateu Bwe
Image default
Sociedade

Estudantes angolanos totalmente indignados com a nova greve dos professores universitários

O Movimento dos Estudantes Angolanos (MEA) pronunciou-se  esta segunda-feira (09.05) sobre  o retorno à greve dos professores universitários que  “caiu como uma bomba” no seio da classe estudantil, manifestando a sua tristeza e indignação pela “falta de sensibilidade” dos docentes e do Governo.

“Nós, o MEA, recebemos a notícia da greve como uma bomba e estamos indignados, revoltados, não aceitamos a retoma da greve, não aceitamos a postura do sindicato e também não aceitamos a postura do Governo”, afirmou hoje o presidente do MEA, Francisco Teixeira à agência de notícias Lusa.

“Entendemos nós que tem de haver sensibilidade, tem de se pensar Angola, pensar nação e pensar nação é resolver os problemas muito distantes das greves”, salientou.

Segundo Francisco Teixeira, os estudantes vão promover várias “ações de luta, protesto e indignação” contra o Governo e o Sindicato Nacional dos Professores do Ensino Superior (Sinpes) angolano.

Porque, explicou, entendemos nós que o ano letivo não pode ser anulado, pobres não podem pagar por irresponsabilidade dos adultos e nós vamos encontrar formas de solução, estamos tristes, insatisfeitos”. “É o sonho de futuro de milhares de jovens em jogo e entendemos que há de se fazer alguma coisa”, atirou.

Fonte: Dw

Artigos semelhantes

Juízes sem licenciatura deixam de exercer funções

Ildo Espinha

Universidade espacial internacional celebra percurso brilhante do seu primeiro aluno angolano

Bateu Bwe

Fiéis católicos rezam a porta da igreja em Luanda

Ildo Espinha

Comente

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceito Saber Mais

Privacidade & Politica de Cookies
Conteúdo protegido